No Natal, presente tem algum valor?

Mário conversava com um amigo sobre o Natal, à porta de casa, quando disse:

"Acho uma grande tolice essa coisa de Natal. As pessoas passam o ano inteiro fazendo o que não devem, e tentam se redimir em um único dia, ou semana. Acho isso tudo uma hipocrisia. Essa coisa de espírito natalino é algo inventado pelos comerciantes, exclusivamente para faturarem mais. Pode ver que os próprios jornais estão pouco preocupados em noticiar quem está fazendo alguma coisa positiva, uma boa ação. E quando noticiam, a matéria está sempre associada a alguém que comprou um monte de brinquedos para ser distribuídos com crianças pobres. Isso é orquestrado pelos poderosos. Isso é para incentivar mais ainda a compra de presentes, tentando mostrar que só assim é que se consegue ter um natal feliz. Estão mais preocupados em noticiar se as vendas estão boas, melhores ou piores que no Natal passado. O Natal do ano passado foi o último que eu dei presentes. De que adianta uma simples boneca na vida de uma criança. Tenho certeza que a boneca que eu dei no ano passado para uma garotinha pobre que mora perto lá de casa não teve qualquer significado. Ela precisava era de comida, educação, saúde"

Neste instante, uma senhora se aproximou dele e disse:

"O senhor é que é o Dr. Mário?". Depois de receber a confirmação apenas com um aceno, ela continuou: "Estava desejando muito falar com o senhor desde o começo deste ano, mas não conseguia lhe encontrar. Na verdade quero lhe agradecer. Não tenho como, pois sou pobre. A única forma foi lhe trazendo essa correntinha de uma boneca, que minha filha deixou para o senhor. No Natal do ano passado, o senhor deu uma boneca de presente para ela. O senhor não pode imaginar como ela ficou feliz. Mas ocorreu uma tragédia. Um motorista bêbado, na noite de Natal, a atropelou enquanto ela brincava com amiguinhas. Quando corri para socorrê-la ela já estava dando seu último suspiro. Antes de fechar seus olhinhos pela última vez e perguntar porque estava sentindo tanta dor, ela disse: 'Mamãe, se eu morrer, dê essa correntinha da minha boneca para aquele homem, e diga para ele que eu sou a pessoa mais feliz desse mundo. Mamãe, me abrace'. Depois disso ela faleceu. Foi muito difícil para mim. Ela só tinha dez anos. Mas depois vi que o presente do senhor tinha feito especial o último momento da vida dela. Por isso estou aqui para lhe agradecer. Obrigado por ter amado minha filha".

O homem começou a chorar, e passou alguns minutos abraçado com a senhora. Ela não entendeu bem, mas Deus ouviu o choro de arrependimento daquele homem. Ele entendeu o significado do Natal.

Abraços, bençãos e SUCESSO!

 Paulo Angelim
http://www.pauloangelim.com.br